Portal RBC

Quase metade dos investidores compraram criptomoedas pela primeira vez em 2021

Mercado cripto volta a subir com apoio de capital institucional após injeção de US$ 1,75 bilhão por dia em uma semana

 

Uma pesquisa realizada pela exchange norte-americana Gemini mostrou que quase metade dos proprietários de criptomoedas compraram, pela primeira vez, os ativos digitais no ano passado. Entre esses novos investidores de 2021, os de Brasil e Indonésia lideram a adoção de moedas digitais.

O estudo da empresa observou que 41% das pessoas pesquisadas nesses dois países relataram propriedade de criptomoedas. Outro detalhe revelado pela Gemini aponta que, depois desses dois primeiros colocados, aparecem Estados Unidos, com 20%, e Reino Unido, com 18%.

A inflação foi o principal impulsionador da adoção de criptomoedas em países que viram suas próprias moedas serem desvalorizadas. Quem ainda não tem, mas pretende comprar, também está nessas localidades, com cinco vezes mais chances de adquirir os ativos para se proteger da inflação do que aqueles residentes em países de economias mais fortes.

Isso é fácil de observar nas nacionalidades que fizeram tal afirmação: 64% dos entrevistados em Indonésia e Índia, contra 16% e 15% em Estados Unidos e Europa, respectivamente. Entre aqueles do Velho Continente, apenas 17% possuíam ativos digitais em 2021 e só 7% pretendem adquirir criptomoedas.

O relatório da empresa acrescenta ainda que 79% das pessoas que têm esses ativos optaram por eles pelo potencial de investimento a longo prazo. A exchange Gemini realizou a pesquisa entre novembro do ano passado e fevereiro deste ano. Foram entrevistadas quase 30 mil pessoas em 20 países.